O GOLEIRO QUE APARECE NA HORA DA DECISÃO!!

Alô, Fiel Torcida!!!!

Vamos falar dele, o goleiro de jogos decisivos, o goleiro que pega “a bola” do jogo, o goleiro dos mais de 400 jogos!

 Foto: © Daniel Augusto Jr.

Foto: © Daniel Augusto Jr.

Cássio Ramos, 31 anos, começou no Grêmio, esteve na seleção brasileira de base, foi para o PSV da Holanda (lá encontrou o Fagner), foi emprestado ao Sparta Rotterdam até o final de 2011. Quando deixou o clube holandês, o presidente Andrés Sanchez entendeu que era uma ótima oportunidade trazer um goleiro com uma certa bagagem e de um bom talento, já que na época o Corinthians tinha o Júlio César, Danilo Fernandes e Rafael Santos, goleiros pratas da casa, mas que a torcida sempre olhava com um pouco de desconfiança. Júlio César que foi campeão brasileiro em 2011(chegou a jogar com o dedo deslocado contra o Botafogo), mas nas quartas de final contra a Ponte Preta, foi a derrocada do goleiro. Com duas falhas, Timão eliminado, era a hora da troca. Cássio que só havia jogado até então contra o XV de Piracicaba devido a um rodizio criado pelo então técnico Tite, assumiu a camisa de titular no dia 2 de maio de 2012, na Libertadores, Oitavas de final contra o EMELEC, empate por 0x0, muito pela grande atuação do goleiro, que já mostrava suas credenciais. E o resto da história você já sabe!!!

Foto: FIFA
Foto: FIFA

Após 403 jogos, nesta segunda ele se fez presente novamente, pegou tudo no tempo normal e nos pênaltis de 8 cobranças do adversário ele acertou o canto em 7, na única que errou o canto a bola bateu no travessão. Quando ele não pega, ele intimida o batedor! Isso também mostra o tamanho e a importância do goleiro para a sua equipe. Após aquele episódio com o Tite, em 2016, em que perdeu a posição, Cássio fez uma reflexão e se reinventou e voltou melhor ainda, engrenou mais uma sequência de títulos e de incríveis atuações. Só neste ano foram três disputas de pênaltis com ele fazendo a diferença.

Foto: CONMEBOL
Foto: CONMEBOL

Hoje com certeza Gylmar, Ronaldo e Dida tirariam o chapéu para o Cássio, são 8 títulos em 7 anos e mais uma final. Com certeza esses três grandes arqueiros escolheriam o gigante como o mais importante da história corinthiana!!!

Tá dito!!!!

DOIS TOQUES

– Cássio Ramos, tem 405 jogos e 318 gols sofridos e 8 títulos; 427 jogos ao todo na carreira, 405 só pelo Corinthians!!!!

– Em 405 jogos: 198 vitórias, 120 empates e 87 derrotas. 17 pênaltis defendidos e vai para sua oitava final!!!!

Foto: CONMEBOL
Foto: CONMEBOL

 

 

O time está em franca evolução: isto é Carille!

Foto: CONMEBOL
Foto: CONMEBOL

Há oito jogos sem derrota, Fabio Carille consegue aos poucos fazer o Corinthians evoluir na temporada. O desempenho já está “equivalente” aos resultados.

A importância de uma semana cheia para trabalhar, fixar ideias e adaptação dos novos jogadores é visível nos jogos. As partidas contra Racing, Santos e Ceará (Copa do Brasil), mostraram claramente tudo isso!!!

 Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Os atletas aos poucos vão entrando no ritmo e ficando mais “soltos” no time, no esquema, na estrutura, no dia a dia. É fato, que cada um tem seu ritmo para essas evoluções, mas é importante essa fase dentro de uma equipe de futebol. O técnico corinthiano também está mais tranquilo, por ter conseguido “achar” a espinha dorsal da equipe, agora ele precisa trabalhar algumas situações isoladas, como a dupla de zaga, que infelizmente ainda não evoluiu.

O Corinthians de Fabio Carille carrega uma particularidade, que ajuda muito na paciência do torcedor em aguardar a evolução do time. As atuações em jogos clássicos e jogos grandes, simplesmente são muito bons e consistentes, isso traz uma tranquilidade e confiança para as arquibancadas, de que o trabalho está no caminho certo!!! O time está em franca evolução e vai chegar forte nas finais do paulistão e nas fases seguintes da Copa do Brasil e Sulamericana!

 Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A hora em que conseguir “estancar” a hemorragia dos gols tomados (coisa que era difícil de acontecer), o Corinthians estará, de fato, pronto para grandes objetivos.

Tá dito!

DOIS TOQUES – TURCO (contato@bastidoressccp.com.br )

O convidado desta edição é o Turco,  jornalista formado, em dezembro de 2005, pela Faculdades Integradas Alcântara Machado (FIAM). Trabalhou por 12 anos, até o final do ano passado, como repórter e editor de um jornal diário na capital paulista, cinco deles em paralelo com um jornal semanal, onde era repórter da Editoria de Política. Antes, passou em algumas revistas segmentadas e também em um estúdio de fotografia. Hoje, é integrante do @Podcastimao e cuida da conta @Bastidoressccp, que fala de todos os assuntos relacionados ao Corinthians. Ele vai analisar essa evolução do Time do povo!!! Seja muito bem-vindo!!!

Dois Toques – Que análise você faz desse intenso processo de evolução da equipe? Em que estágio estamos?

Turco: ” É inegável que o Corinthians está evoluindo pouco a pouco e que já era esperado certa dificuldade nesse início, diante da quantidade de contratações que foram feitas pela diretoria, a pedido da comissão técnica. Porém, confesso que acreditava que estaríamos alguns passos à frente nesse momento, principalmente em relação ao setor defensivo, que é a especialidade do técnico Carille. Não podemos considerar algo normal ser, em números, a pior defesa entre os times da série A no ano. O interessante é que, mesmo diante de todas as dificuldades, os resultados estão aparecendo, o que dá tranquilidade e confiança para seguir. Outra boa notícia é que já se começa a desenhar uma equipe titular. Felizmente para o técnico, mas, infelizmente para nós, ele já sabe a linha defensiva que tem confiança; definiu nessas últimas partidas os dois homens na frente da área (Ralf e Urso); já conta com o Clayson como o seu homem “agudo” e o Gustavo como seu homem de área. Vejo uma indefinição em relação a terceira linha. Sornoza, Love, Jadson e Pedrinho brigam por duas vagas. A tendência é que, em um primeiro momento, Sornoza e Love ocupem essas vagas. Está claro que o Corinthians ainda deve muito futebol, mas, as partidas contra o Palmeiras e o Santos mostraram que o elenco tem alternativas interessantes e que vai brigar na ponta de cima da tabela”. 

Dois Toques – Gostaria que você comentasse sobre a evolução dos novos contratados e de alguns que ano passado não estiveram tão bem, como Avelar, Pedrinho, Vital?

Turco : “Sobre os contratados há grandes decepções, por enquanto, e gratas surpresas. A principal decepção até agora é o volante Ramiro. Acredito que ele chegou como um dos principais nomes, atrás do Boselli, e não conseguiu mostrar nenhum pouco do futebol apresentado no Grêmio. Carille já o colocou em todas as posições do meio campo, incluindo aberto pela direita, onde renderia melhor, porém, ainda não vingou. Hoje é banco com gosto. Em contrapartida, o Urso, que recebeu muitas críticas por ser mais um volante em um elenco recheado nessa posição, chegou, vestiu a camisa, dominou o meio-campo e é titular absoluto. Jogador inteligente, com boa chegada. É o primeiro que dá esperança na substituição efetiva do Maycon. O Gustagol também é uma surpresa. Evoluiu demais e está com confiança. É outro jogador. Sornoza, por sua vez, vem se salvando pelas assistências. Ele bate muito bem na bola, coloca ela onde quer, mas, some a maior parte do jogo. Quando a assistência decisiva não entrar, teremos problema. Tenho muita confiança, por sua vez, no zagueiro Bruno Mendez. As indicações são muito positivas e, se o Carille deixar, deve assumir uma vaga da defesa. Ainda tenho confiança no Araos e no Diaz. Vejo jogadores de muita qualidade, nomes considerados com futuro muito promissor em seus respectivos países, mas, que precisam se movimentar ou ficarão na eterna promessa. Sobre o Avelar e o Pedrinho. O primeiro, apesar da evolução nos últimos jogos, não consigo acreditar nele como um titular absoluto para o Brasileiro. A comissão, apesar da defesa pública, também não. Corinthians deve ir atrás de um lateral titular no meio do ano. Sobre a permanência no elenco, eu não pagaria 1,5 milhões de euros por ele. Por fim, o Pedrinho. Admito que pego muito no pé dele, mas, faço isso porque sei da qualidade que tem. Concordo com a maioria que ele joga melhor pelo meio, porém, não gosto dessa “exigência” de jogar por ali. Pedrinho precisa chamar jogo, buscar a bola, mostrar vontade de estar no clube. Essa é a minha maior crítica. O que dizia o Seedorf do Ganso? Que era lento para Europa. Fato que se confirmou. Vejo o Pedrinho na mesma toada. Qualidade tem, mas, precisa se adaptar ao futebol de hoje, tanto fisicamente como na questão tática. Falar que ele precisa jogar solto e sem exigência de marcação, ainda mais no futebol de hoje, é impraticável.  Pedrinho precisa definir o que ele quer para a carreira dele. Se será um “Foquinha” ou um William. O Vital eu vejo na mesma situação. Não dá para viver de dois jogos contra o Palmeiras. Precisa se confirmar como um jogador de talento. Por enquanto, nada provou. O Boselli, apesar de ter marcado apenas uma vez, se mostra um jogador muito inteligente e que vai ajudar demais. Os outros jogadores ainda precisam entender o seu estilo. Vai deslanchar e dará muitas alegrias à torcida”.

Convicção é uma coisa, teimosia é outra!!!!

Alô, Fiel Torcida!!!!

Os resultados são muito melhores que as atuações da equipe. Lidera o seu grupo no paulistão, está vivo na sul-americana, está na terceira fase da Copa do Brasil e já venceu dois clássicos, mas mesmo assim falta algo, e não falo de futebol vistoso. Esses “resultados” não podem mascarar atuações seguidamente abaixo da média. É verdade que uma equipe está se remontando, jogadores se conhecendo, se adaptando ao esquema. O Corinthians tem um jeito de jogar desde 2008 e a torcida abraçou a causa, mas nesses últimos tempos está muito abaixo, principalmente atuando em casa. A grande dificuldade continua ser a questão de propor o jogo contra equipes menores.

Acredito que o professor Fabio Carille esteja achando a equipe ideal, mas convicção e diferente de teimosia, birra ou algo do gênero. Tem jogadores que não estão bem e outros que merecem uma sequência. Até quando vale a “insistência”?

Uma “queda de braço” nesse momento é desnecessário, o momento é de agregar tudo e todos!!! A questão insistente da bola áerea, que ainda não foi resolvida e preocupa o torcedor. Não adianta ficar bravo com a imprensa, pois nosso papel é questionar e enquanto tiver dessa forma, vamos fazer o nosso papel.

Tá dito!!

 

DOIS TOQUES – MARCELO BRAGA

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

O convidado desta edição é o repórter Marcelo Braga, setorista do Corinthians há 9 anos, pelo site globoesporte.com, sabe tudo e mais um pouco do dia a dia do time do povo!!!! Seja bem-vindo!!!

 

DT – Marcelo, você acredita que após as duas vitórias (São Paulo e Avenida), o técnico Fábio Carille tenha achado o time e o sistema de jogo para a sequência da temporada ou ainda falta alguma coisa?

Marcelo Braga: “O Corinthians ainda não está pronto, mas Carille parece satisfeito com o seu 4-1-4-1, embora ele goste de chamar de 4-3-3. Ainda faltam algumas definições.

 

Além do sistema defensivo falho, que vem sendo vazado com uma frequência incomum para os padrões Carille, a formação do meio para frente ainda não está definida.

 

Me parece claro que Ralf, Júnior Urso e Sornoza devem formar a primeira linha, com os dois últimos tendo boa liberdade para sair com a bola.

 

À frente deles, enquanto Jadson é desfalque, grande incerteza. Love fez a função em parte do jogo contra o Avenida, mas foi Pedrinho quem rendeu melhor neste setor. O elenco tem ainda Mateus Vital e até Araos, mas ambos sem espaço.

 

Pelos lados, Carille quer rapidez e velocidade. Clayson ainda não deu a resposta esperada, enquanto Pedrinho, como disse acima, rende melhor por dentro. A situação pode abrir caminho para Sergio Díaz.

 

No comando do ataque, Gustagol é o dono do time. Aí, não há nenhuma dúvida.

 

O fato é que indefinições na escalação podem custar resultados, e derrotas podem atrapalhar convicções, deixando o esquema em xeque. Mesmo assim, me parece que Carille vai insistir no sistema pelo menos até as decisões do Paulista”.

 

DT – Você acompanha o técnico Fábio Carille desde quando era auxiliar, interino e viu ele assumir a equipe em 2017. Há diferenças daquele Carille para o atual?

 

Marcelo Braga: “Carille mudou muito de 2017 para cá. Todos mudamos, espero. Vivemos em constante evolução.

 

Em relação ao Carille que assumiu o Timão em dezembro de 2016 para o Carille de hoje, nem parecem a mesma pessoa. Era um profissional tímido e que não conseguia expor suas ideias. Hoje, é um profissional confiante, maduro e que sabe exatamente o que quer fazer e onde quer chegar.

 

Taticamente, mantem-se como um técnico que define sua ideia de jogo, agarra-se em suas convicções e vai até o fim com elas. Politicamente, hoje parece ter mais força nos bastidores, tanto que participou bem ativamente das contratações nesta temporada. Parece viver em boa harmonia com o presidente Andrés Sanchez.

 

Com três títulos na primeira passagem, tem apoio irrestrito da torcida, o que facilita as tomadas de decisões – mesmo as mais questionadas, como as manutenções de Henrique e Danilo Avelar. Por ter ainda pouca experiência com momentos de crise, ainda tem dificuldades de encarar cobrança e adversidade, irritando-se com a imprensa com certa facilidade.

 

De toda forma, sabe que voltou ao Corinthians desafiado a fazer igual ou melhor. Mas tem encarado a pressão com grande profissionalismo. Aliás, profissionalismo é característica que sempre acompanhou Carille e que define bem sua postura”.

Corinthians x Palmeiras, é um eterno divisor de águas!!

Alô, Fiel Torcida!!!

Após a eufórica vitória no Derbi, o Corinthians volta a sua condição de remontagem da equipe, mas de uma forma diferente. Assim como aconteceu em 2017 e 2018, o clássico (e a vitória) frente ao Palmeiras me trazem um certeza: é mais um rito de passagem!!!

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O Corinthians já sofria com questionamentos, incertezas, desconfianças e o resultado positivo coloca uma tranquilidade no trabalho do técnico e na adaptação dos novos atletas. Nos anos anteriores a situação era idêntica, e a equipe conseguiu dar a resposta e trilhar uma temporada de com bons resultados.

Desta vez não se sabe se o tamanho da vitória na sequência da temporada vai significar algum título, mas será interessante. Pelos reforços, pela criatividade do técnico que mais uma vez mostrou sua capacidade inventiva, de dar alternativas ao esquema de jogo.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Agora que esse “rito de passagem” possa deixar o torcedor calmo e consciente de que o trabalho está no seu início, mas que vai evoluir muito, principalmente pela qualidade do elenco, que é muito diferente dos anos anteriores. E esse momento ajudou não só o time e o entendimento dos torcedores com relação ao trabalho, como também tem recuperado jogadores. Assim foi com o Jô, que depois daquele jogo deslanchou, o próprio Rodriguinho que assumiu seu protagonismo no jogo do ano passado e agora agraciou o lateral esquerdo Danilo Avelar, com uma grande partida. Corinthians x Palmeiras sempre é um divisor de águas!!!

Tá dito!!!!

 

DOIS TOQUES – ANDRÉ RANIERI

O convidado desta semana é o repórter André Ranieri, da Rádio Jovem Pan e setorista do Corinthians, que dá um show na análise tática e na sequência do Timão para 2019.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

 

DT – Pela sua experiência, você acredita que a vitória no Derbi será um “rito de passagem”, assim como foi 2017 e 2018?

André Ranieri: “Eu acredito que esse tipo de jogo, de fato, ajude na sequência da temporada, até porque o time reformulou muito o elenco, são dez novos atletas até este momento e muitos ainda não entenderam o que é o Corinthians. Os atletas mais antigos (Cassio, Fagner e Ralf) sempre falam em entrevistas, que “jogar no Corinthians é diferente”, nem sempre é o que joga melhor, raras vezes é o que joga melhor, mas é o time que sempre briga por títulos, e nos últimos anos foi o que mais ganhou títulos, mesmo sem ter esquadrões. Então eu acho que vários destes reforços vão entender o que é Corinthians e entender o que o treinador quer. Aliás o Carille, para mim, é muito bom e mostrou isso no clássico, uma capacidade enorme; uma capacidade incrível de mexer taticamente, ele sempre inova nos clássicos. Então, com certeza, esse clássico vai ser um divisor de águas, não sei se o suficiente para repetir os títulos dos anos anteriores, mas com certeza vai dar um gás, principalmente após o segundo semestre do ano passado que foi muito ruim”.

DT – Com a chegada do volante Junior Urso, como e onde o técnico Fábio Carille poderá melhor usar o jogador?

André Ranieri: “A chegada do Jr. Urso, vejo como o cara que faltava na esquematização de jogo do Corinthians. Ele ajuda na recomposição, tem poder de marcação, pisa na área do adversário e tem o arremate de média distância, como o Maycon fazia. O Jr. Urso tem as características necessárias para o Corinthians rodar do jeito que o Carille deseja, já que os outros que tentaram fazer essa função ainda não tem casca para assumirem a função de titular. E falo com muita convicção como o Carille pensa essa montagem do time, muitos acham que o Ramiro será o segundo volante, não será! O Carille deseja usá-lo como externo pela direita e com a chegada do Urso isso fica mais próximo de acontecer. O desenho do time será assim: a linha de 4 defensiva, os dois volantes (Ralf e Jr. Urso), no meio (Ramiro, Jadson, Love) e no ataque (Gustavo ou Boselli)”.

E A PRIMEIRA VITÓRIA CHEGOU!!!!

Alô, Fiel Torcida!!!!

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

 

Enfim a primeira vitória de 2019 chegou!!! É bem verdade que não foi uma apresentação de encher os olhos, mas nesse momento a importância da vitória, é que ela traz confiança para que os próximos passos sejam dados com tranquilidade.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A tromba d’água que caiu durante o primeiro tempo ajudou a prejudicar a equipe que já estava com 7 mudanças e não fazia uma apresentação segura frente a Ponte Preta. Na segunda etapa, o técnico Fábio Carille teve uma leitura perfeita colocando Jadson, Fagner e o centroavante Mauro Boselli, mas os dois primeiros mudaram a cara da equipe e mais uma vez mostraram a liderança técnica que eles exercem no elenco.

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Com a entrada do Boselli, achei interessante que o argentino começou saindo mais e o Gustavo mais fixo, aí eles trocaram e o gol saiu assim. Boselli mais fixo atraindo a marcação, e na movimentação Gustavo recebeu a bola sem marcação. Não posso deixar de citar duas boas apresentações individuais: o zagueiro Marllon e o volante Thiaguinho, muito bem durante a partida.

Aos poucos as coisas vão entrando “nos eixos”, não é simples reconstruir um time, pois além da parte tática e do entrosamento dos novos reforços, o técnico Carille tem que “resgatar” alguns atletas que não foram bem na temporada passada e contam com a forte desconfiança do torcedor.

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Tá dito!!!!!

 

DOIS TOQUES: TIAGO SALAZAR

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Hoje é dia do repórter Tiago Salazar, da GazetaEsportiva.net, ele que já cobriu inúmeros clubes, atualmente é o setorista do Corinthians e sabe muito!!! Seja muito bem-vindo!!!!

Dois Toques – Você que está nos treinamentos, no dia a dia das atividades, entende que o Boselli e o Gustavo podem atuar juntos?

 

Tiago Salazar: No CT, até agora, o Carille ainda não testou essa formação. E eu acho muito difícil que ele o faça. A ideia do técnico está muito clara: é Love mais aberto encostando em um centroavante, seja ele Boselli ou Gustagol.

 

A minha opinião é que essa formação pode ser usada, sim, mas apenas em momentos específicos, diante de uma necessidade, como foi contra a Ponte. Não tivessem os dois dentro da área, aquele gol não sairia, pois um puxou a marcação e o outro aproveitou o espaço.

 

Mas, não vejo como uma boa ideia ter dois centroavantes enfiados na área para início de jogo. Comprometeria a criatividade, a busca pelos espaços frente a uma equipe fechada, e também deixaria um espaço ao adversário na hora da recomposição. Como eu disse, é algo apenas para momentos específicos.

 

DT – Após a divulgação dos valores do novo patrocinador (BMG) e a repercussão ruim junto aos corinthianos. Pela sua experiência, os torcedores vão abraçar a “causa” ou ficou um “ruído” em toda essa situação?

 

Tiago Salazar: Pelo o que pudemos perceber da repercussão, a bronca do torcedores, quase que em sua totalidade, parte para cima da diretoria corinthiana. Eu, particularmente, não vi qualquer manifestação de irritação com o Banco BMG.

 

Temos também o fator histórico. É só lembrar como os corinthianos aderiram ao Banco Excel em 1998, à Pepsi e aos produtos da Hipermarcas mais recentemente.

 

Portanto, a relação ainda harmoniosa com o BMG, com bronca apenas para os dirigentes, e um histórico de fidelidade da torcida junto aos parceiros do clube, não duvido que o Corinthians consiga ter sucesso nessa aposta.

 

É uma parceria de risco e pouco transparente. O clima de apreensão é inevitável, o momento econômico do país contribui para isso, mas não será uma surpresa o sucesso da parceria. Sinto a Fiel disposta a ajudar, mais uma vez.

MUITA CALMA NESSA HORA, FIEL!!!

Alô, Fiel Torcida!!!

Boa estreia do Corinthians, neste último domingo, frente ao São Caetano. Resultado foi bom, a equipe não merecia perder. Foram 17 dias de preparação com atletas chegando, saindo, e mesmo assim, o time já demonstrou uma ótima organização defensiva e ofensiva. Obvio que em determinado momento a parte física acusa, mas segundo o preparador físico, Walmir Cruz, em fevereiro o time estará bem melhor.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O torcedor precisa ter paciência com a montagem da equipe, paciência com a adaptação tática do atletas, como no caso, o meia Sornoza, que joga centralizado mas o técnico Fabio Carille vai testá-lo aberto na esquerda. Por isso o rendimento do atleta não será o ideal, como o próprio Carille disse: “Isso demanda paciência, tempo e sequência do trabalho”.  O zagueiro Marllon foi muito bem, pois foi simples e sem invencionices. Vai ter mais chances na equipe titular! O lado direito e do meio para frente a questão do entrosamento, parece ser mais fácil o encaixe. Vai dar samba!!!!

 Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Aos poucos o treinador vai achando o time ideal, já que ele mesmo lembrou de 2017, quando ele começou com um time no jogo com o São Bento, na estreia do paulistão daquele ano e no jogo final, frente a Ponte Preta tinham cinco mudanças. Geralmente é assim, o time campeão nunca é o mesmo da estreia. Portanto, muita calma, senhores!!!

Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Tá dito!!!

 

DOIS TOQUES:

E para dar o pontapé inicial desta seção, em 2019 ninguém melhor, do que o repórter e apresentador João Paulo Cappellanes, setorista do Corinthians e esteve na cobertura da  Copa do Mundo, em 2018, pela Rádio Bandeirantes – Equipe José Silvério. Bem-vindo, Capê!!!

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

DT: Sua análise sobre atuação do Corinthians nesta janela de contratações.

J.P. Cappellanes: “Eu acho que a diretoria do Corinthians trabalhou bem demais! Não foram apenas contratações pontuais, mas reforços que chegam pra elevar o nível do elenco!

 

Na temporada passada, o Corinthians sofreu com a falta de um atleta de meio-campo pra ajudar o Jadson na criação de jogadas. Desde a saída do Maycon, o Jadson passou a ser a única cabeça pensante. Vale lembrar que aos 35 anos, por melhor tecnicamente que o camisa 10 seja, a condição física pesa, fazendo com que ele tenha mais dificuldades pra desenvolver o seu futebol.

 

A chegada do Ramiro foi certeira! É um atleta que, além de marcar, carrega bem a bola pro início da construção da jogada ofensiva!

 

O Carille é um especialista em montar uma boa defesa, por isso acho que a contratação do Manoel foi boa! É um jogador que tem potencial pra ser ‘aquele Manoel’ dos bons tempos de Athletico Paranaense!

 

Sobre Boselli: GOLAÇO, literalmente falando! Um excelente centroavante, que bem municiado pelos companheiros, vai ter sucesso no Timão!

 

Richard, Sornoza, Michel Macedo, Andre Luiz, Gustagol ainda não são realidade, mas atletas de potencial para se tornarem e se firmarem, quem sabe, entre os titulares.

 

O técnico Fábio Carille foi campeão brasileiro em 2017 com menos time (tecnicamente) e menos elenco. Agora, com mais matéria-prima, mesmo perdendo o Romero, é um Corinthians forte, competitivo, que assim como qualquer grande, precisa aprimorar fisicamente, já que os atletas tiveram pouco tempo de pré-temporada!

 

Em suma; A diretoria surpreendeu a todos. Positivamente! O trabalho realizado por Andres Sanchez, Duilio, Dr. Kalil e do ex-gerente, Alessandro, foi impecável dentro e fora de campo – ainda mais com a chegada do patrocinador máster.

 

No papel, um ótimo elenco. Na prática, vamos aguardar…”

 

DT: Capê, o técnico Fabio Carille está correto em tentar adaptar, o meia Sornoza, na esquerda ou você tentaria uma outra opção???

 

J.P. Cappellanes: “Fábio Carille é humano. Sendo assim, erra como todos nós. Erra quando tenta adaptar o Sornoza pelo lado esquerdo.

 

O Romero não é um primor tecnicamente falando, mas fez muito sucesso quando tinha Guilherme Arana ao seu lado.

 

Hoje, o Corinthians sofre (e muito) com a falta de qualidade do Danilo Avelar. Colocar o Sornoza para jogar ao lado do Avelar é “matar” o equatoriano.

 

O jogador foi destaque no Independiente de Valle, vice-campeão da Libertadores em 2016, atuando pelo meio. Criando jogadas. Finalizando. Dando o último passe.

 

Sornoza atuando pelo lado esquerdo, terá sempre dificuldade sendo cercado por, pelo menos, dois marcadores, assim como aconteceu contra o São Caetano. Ele foi nulo em campo.

 

Na minha visão, Sornoza e Jádson podem formar uma boa dupla juntos. Um ao lado do outro. Alternando as jogadas, fazendo infiltrações, lançamentos e atraindo a marcação para dar liberdade para criação no meio-campo.

 

Sornoza não é tão rápido, apesar de ser baixinho. Sornoza tampouco tem extrema habilidade, como Pedrinho por exemplo, por isso, colocar o equatoriano longe do gol e do meio-campo para criar as jogadas, é “matar” o atleta. Ainda mais tendo que trabalhar as jogadas com o Danilo Avelar. Ai ninguém merece…

 

 

Feliz Ano novo? Acredito que sim!!!!

Alô, Fiel Torcida!!!! Feliz 2019!!!

E já começamos o ano com um bom teste, o bom jogo contra o Santos, neste último domingo. Empate acabou sendo um resultado justo até pelos experimentos do técnico Fabio Carille.

Num primeiro tempo bem movimentado e um Corinthians com sede de gols, realizou uma blitz no time da Vila Belmiro e mostrou ao torcedor como será a essência da equipe na fase ofensiva, mesmo sem Boselli, Romero, Clayson e Pedrinho. O recém contratado, André Luis fez um ótimo dueto com Fagner pela direita e com o próprio Ramiro encostando, já que o próprio técnico me explicou na coletiva que o André está acostumado com essa função, mesmo tendo atuado centralizado na Ponte Preta, seu último clube.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

No lado esquerdo, ainda senti os atletas num misto de timidez e adaptação. Como o Carille explicou: “Sornoza está se adaptando, pois atuava mais centralizado, mas vamos trabalhar para que se entrosem o quanto antes”. Gostei das alternativas táticas do Corinthians pelo menos neste primeiro teste. Com o time que começou a partida, ele alternava um 4-3-3, 4-2-4, na fase ofensiva e na fase defensiva o tradicional 4-4-2. O Jadson ficava com o Gustavo, na primeira linha de combate e com isso Andre Luis e o Sornoza fechando (a linha de 4) com os dois volantes (Richard e Ramiro). Só que o esquema base é o 4-2-3-1. No início do segundo tempo, houve uma breve troca, com o Sornoza centralizado e o Jadson caindo pelo lado e o Ramiro bem mais adiantado, porém após a troca geral, o time “B” alternou um 4-1-4-1 com o Thiaguinho na frente da linha defensiva, 4-2-4 com Roger, Marquinhos, Mosquito e Vital.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Isso já me deixa muito feliz, um time com uma grande organização tática e com variações dentro do jogo. Agora a questão da bola aérea continua a atrapalhar. No primeiro tempo as duas melhores chances do Santos foram desta forma. Mas só estamos no início da temporada e confio no Carille para ajustar isso.

Tá dito!!!

DOIS TOQUES

– O clássico contra o São Paulo foi passado para o dia 17/02, ás 11h.

– O centroavante Mauro Boselli vai retornar para a capital paulista, dia 18 e com isso deve ficar fora da estreia, no paulistão, dia 20.

Exemplo da fase defensiva: 4-4-2clássico!
Exemplo da fase defensiva: 4-4-2 clássico!

Apesar do sufoco, o resultado foi bom!!! UFA!!!

Alô, Fiel Torcida!!!!

Ufa!!!! O resultado deste último sábado foi bom mas, infelizmente o desempenho continua abaixo. Valeu a luta, a aplicação, mas para o jogo desta quarta-feira, precisará de um pouco mais.

A organização tática foi pequena, mas houve! Léo Santos, por exemplo, não foi “tabelar” com nenhum atacante durante o jogo e o time fez exatamente o que treinou na última sexta-feira. Muita pressão na saída de bola e prioridade para as jogadas laterais. No primeiro tempo, o lado esquerdo, foi o mais utilizado. Já na segunda etapa, o lado direito foi bem utilizado no começo do jogo e na segunda jogada saiu o gol salvador.

O desempenho foi abaixo, mas algumas mexidas táticas foram interessantes, como o Thiaguinho jogando por dentro, dando uma sustentação ao Jadson. A montagem da equipe sem a bola foi interessante num 4-4-2 com Jadson e Danilo mais a frente, já Pedrinho e Mateus Vital (na fase ofensiva) puxando a marcação, afunilando para o meio, abrindo o corredor para o Avelar e para o Fagner (foi assim que saiu o gol).

Após o gol eu entendi que a estratégia foi errada!!! Ficar esperando para armar um contra golpe (só armou um e o Roger chutou para fora) e tomar um sufoco, onde um bola “vadia” poderia estragar tudo.

Algo para se pensar para o próximo compromisso em Curitiba. Jogar esperando os donos da casa não será um bom negócio!

Tá dito!!!

DOIS TOQUES

– Carlos Augusto, que serve a seleção sub20, terá esquema especial para sair de Goiânia e chegar na capital paranaense para o jogo desta quarta, pelo brasileirão!!!

– De 2010 até agora foram 8 jogos, na Arena da Baixada: 3 vitórias do Timão, 3 empates e 2 derrotas. Pelo brasileirão foram 21 jogos: 7 vitórias, 8 empates e 6 derrotas. Ano passado fez 1×0, gol do Giovanni Augusto.

 

Osmar Loss e Jair Ventura: Os criadores do Frankenstein corinthiano

Alô, Fiel Torcida!!!

Que suplício serão essas últimas rodadas. Mais uma derrota fora de casa, mais uma apresentação abaixo da crítica. Tá certo que esse baixo futebol não vem de agora, mas nesse momento, o time precisa entender que do jeito que está, não pode ficar.

O técnico Jair Ventura vem falhando muito, na análise de jogadores, no estilo do Corinthians atuar (principalmente fora de casa), mas nada diferente do que já acontecia anteriormente. Aliás o que me espanta no trabalho do atual técnico é a incrível incapacidade de mudar ou de amenizar a implosão feita pelo técnico anterior (em que muitos tentam ocultá-lo desta barafunda). Sim, ele tem sua parcela de responsabilidade, os números não mentem. Estão aí, frios e cruéis. Porém isso já acontecia, já era assim ou você vai me dizer que tínhamos um time organizado, um time que praticava um bom futebol? Isso não foi realizado agora, isso é só a sequência da terra arrasada. Repito: O Jair tem sua parte de responsabilidade, sim!!! Porém, não é só ele, como muitos tentam propagar. A minha função como jornalista não é relatar fatos pela metade, por gosto pessoal ou para confirmar teses. Eu jamais vou fazer uma análise SÓ do trabalho atual, vou fazer citando o trabalho anterior, que se fosse tão bom não seria interrompido. Em todas as minhas tribunas vou citar (goste você ou não) o trabalho anterior, minha função é de analisar TUDO E TODOS!!!

Vamos lembrar de algumas coisas:

Com o técnico anterior o Corinthians já figurava entre os três piores times que finalizavam e era um dos que mais sofriam finalizações. Isso não mudou incompetência do atual técnico em resolver? Sim!!! Mas não foi com ele que isso começou.

Consistência do sistema defensivo: Vamos falar da famigerada bola alçada, que sempre foi uma fraqueza corinthiana, esse ano foi tudo para os ares e com o atual técnico, continua da mesma forma.

Esquema tático: Esse é o assunto que mais me intriga, pois chega nesse tópico, poucos tem condições de dissertar sobre o assunto. Quando o anterior assumiu (mesmo conhecendo toda a filosofia e trabalhando um ano como auxiliar do Carille), simplesmente destruiu a questão tática do Corinthians. Aí muitos jogam a culpa no desmanche (tem uma certa razão, pois diminui a qualidade. Até porque os que vieram tem uma qualidade duvidosa), mas esquema tático e como uma fôrma de bolo: independente do ingrediente, a fôrma de bolo é redonda (ou quadrada). Você pode discutir a qualidade dos ingredientes para aquele bolo ficar bom, mas a fôrma é aquela. E o que foi feito? Um desmanche tático e técnico! Por qual razão? Gostaria de ter essa resposta. Aí chega o atual e vai fazer o que??? Ao invés de fazer o simples, se complica com escolhas e não consegue definir um esquema. Invariavelmente, tanto antes como agora, é comum o time corinthiano ficar desorganizado. Estilo “barata voa”, cada um para um lado. E agora a situação se agrava pois a pressão é gigante, toma um gol, se desespera e o resto vcs sabem. Até tabelando no ataque os nossos zagueiros vão!!! Coisa que raramente vimos nesses anos.

Então é muito fácil pegar os números frios e realistas e cravar um culpado. Eu gosto dos números, mas não sou refém deles. Prefiro analisar em cima de desempenho, e como dizia Tite: “o desempenho nem sempre está atrelado ao resultado” e o desempenho, já vem mal há tempos. Por isso que para mim, os dois (Loss e Jair) tem boa parte de responsabilidade nessa situação. Um por implodir e o outro por ser incapaz de refazer e amenizar toda uma situação de deterioração, isso sem falar na diretoria e a “eterna” má fase de alguns jogadores.

Por essas e outras que comigo não tem essa de “esquecer” o que o anterior fez. Cobro o atual e mesmo fora, lembro a todos que o anterior tem sim sua parcela na deterioração da equipe, principalmente na parte tática.

Tá dito!!!!

DOIS TOQUES

– Romero na seleção e Douglas (suspenso) estão fora do jogo frente ao Vasco neste sábado, as 19h.

– Jair Ventura tem 7 jogos como mandante: 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas.

 

O ponto positivo do clássico, foi a sensação de que dá para fazer mais e melhor!

Alô, Fiel Torcida!

Boa apresentação da equipe no último sábado, no clássico. Uma pena que a péssima arbitragem, não permitiu que o Timão levasse os três pontos (que seriam de muita importância neste momento). Porém, a atuação do time deixou a sensação de que algo melhor pode ser feito para esses jogos restantes.

A equipe esteve bem organizada, mesmo com um homem a menos e foi muito aguda. O adversário em nenhum momento foi melhor que o Corinthians, aliás achou o gol de empate. Agora é pegar o que aconteceu de bom neste jogo, desde a atitude até a organização da equipe e procurar repetir nestes próximos jogos. Não tem muito o que inventar. Uma base esse time já tem: Cassio, Fagner, Henrique, Ralf, Jadson e… Danilo! Sim, ele mesmo! Foi muito bem contra o SPFC, mas devido a expulsão do Araos precisou ser substituído. O camisa 20 tem produzido muito mais, do que qualquer um dos centroavantes que vieram após a saída do Jô.

Agora são 5 jogos, dois deles em casa, precisará fazer esses seis pontos para que não aconteçam surpresas desagradáveis e ai pensar em 2019 e repensar muita coisa, pois o segundo semestre foi trash (mesmo com a final da Copa do Brasil).

Tá dito!!

 

DOIS TOQUES

– O chileno Angelo Araos, já acumula duas expulsões em um curto espaço de tempo. A comissão técnica precisa urgentemente orientar o jogador para não perder a mão.

– O atacante Romero foi convocado para o amistoso da seleção paraguaia contra a África do Sul, em 20 de novembro. Não jogará contra o Atlético/PR, na 36ª rodada.