O time está em franca evolução: isto é Carille!

Foto: CONMEBOL
Foto: CONMEBOL

Há oito jogos sem derrota, Fabio Carille consegue aos poucos fazer o Corinthians evoluir na temporada. O desempenho já está “equivalente” aos resultados.

A importância de uma semana cheia para trabalhar, fixar ideias e adaptação dos novos jogadores é visível nos jogos. As partidas contra Racing, Santos e Ceará (Copa do Brasil), mostraram claramente tudo isso!!!

 Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Os atletas aos poucos vão entrando no ritmo e ficando mais “soltos” no time, no esquema, na estrutura, no dia a dia. É fato, que cada um tem seu ritmo para essas evoluções, mas é importante essa fase dentro de uma equipe de futebol. O técnico corinthiano também está mais tranquilo, por ter conseguido “achar” a espinha dorsal da equipe, agora ele precisa trabalhar algumas situações isoladas, como a dupla de zaga, que infelizmente ainda não evoluiu.

O Corinthians de Fabio Carille carrega uma particularidade, que ajuda muito na paciência do torcedor em aguardar a evolução do time. As atuações em jogos clássicos e jogos grandes, simplesmente são muito bons e consistentes, isso traz uma tranquilidade e confiança para as arquibancadas, de que o trabalho está no caminho certo!!! O time está em franca evolução e vai chegar forte nas finais do paulistão e nas fases seguintes da Copa do Brasil e Sulamericana!

 Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A hora em que conseguir “estancar” a hemorragia dos gols tomados (coisa que era difícil de acontecer), o Corinthians estará, de fato, pronto para grandes objetivos.

Tá dito!

DOIS TOQUES – TURCO (contato@bastidoressccp.com.br )

O convidado desta edição é o Turco,  jornalista formado, em dezembro de 2005, pela Faculdades Integradas Alcântara Machado (FIAM). Trabalhou por 12 anos, até o final do ano passado, como repórter e editor de um jornal diário na capital paulista, cinco deles em paralelo com um jornal semanal, onde era repórter da Editoria de Política. Antes, passou em algumas revistas segmentadas e também em um estúdio de fotografia. Hoje, é integrante do @Podcastimao e cuida da conta @Bastidoressccp, que fala de todos os assuntos relacionados ao Corinthians. Ele vai analisar essa evolução do Time do povo!!! Seja muito bem-vindo!!!

Dois Toques – Que análise você faz desse intenso processo de evolução da equipe? Em que estágio estamos?

Turco: ” É inegável que o Corinthians está evoluindo pouco a pouco e que já era esperado certa dificuldade nesse início, diante da quantidade de contratações que foram feitas pela diretoria, a pedido da comissão técnica. Porém, confesso que acreditava que estaríamos alguns passos à frente nesse momento, principalmente em relação ao setor defensivo, que é a especialidade do técnico Carille. Não podemos considerar algo normal ser, em números, a pior defesa entre os times da série A no ano. O interessante é que, mesmo diante de todas as dificuldades, os resultados estão aparecendo, o que dá tranquilidade e confiança para seguir. Outra boa notícia é que já se começa a desenhar uma equipe titular. Felizmente para o técnico, mas, infelizmente para nós, ele já sabe a linha defensiva que tem confiança; definiu nessas últimas partidas os dois homens na frente da área (Ralf e Urso); já conta com o Clayson como o seu homem “agudo” e o Gustavo como seu homem de área. Vejo uma indefinição em relação a terceira linha. Sornoza, Love, Jadson e Pedrinho brigam por duas vagas. A tendência é que, em um primeiro momento, Sornoza e Love ocupem essas vagas. Está claro que o Corinthians ainda deve muito futebol, mas, as partidas contra o Palmeiras e o Santos mostraram que o elenco tem alternativas interessantes e que vai brigar na ponta de cima da tabela”. 

Dois Toques – Gostaria que você comentasse sobre a evolução dos novos contratados e de alguns que ano passado não estiveram tão bem, como Avelar, Pedrinho, Vital?

Turco : “Sobre os contratados há grandes decepções, por enquanto, e gratas surpresas. A principal decepção até agora é o volante Ramiro. Acredito que ele chegou como um dos principais nomes, atrás do Boselli, e não conseguiu mostrar nenhum pouco do futebol apresentado no Grêmio. Carille já o colocou em todas as posições do meio campo, incluindo aberto pela direita, onde renderia melhor, porém, ainda não vingou. Hoje é banco com gosto. Em contrapartida, o Urso, que recebeu muitas críticas por ser mais um volante em um elenco recheado nessa posição, chegou, vestiu a camisa, dominou o meio-campo e é titular absoluto. Jogador inteligente, com boa chegada. É o primeiro que dá esperança na substituição efetiva do Maycon. O Gustagol também é uma surpresa. Evoluiu demais e está com confiança. É outro jogador. Sornoza, por sua vez, vem se salvando pelas assistências. Ele bate muito bem na bola, coloca ela onde quer, mas, some a maior parte do jogo. Quando a assistência decisiva não entrar, teremos problema. Tenho muita confiança, por sua vez, no zagueiro Bruno Mendez. As indicações são muito positivas e, se o Carille deixar, deve assumir uma vaga da defesa. Ainda tenho confiança no Araos e no Diaz. Vejo jogadores de muita qualidade, nomes considerados com futuro muito promissor em seus respectivos países, mas, que precisam se movimentar ou ficarão na eterna promessa. Sobre o Avelar e o Pedrinho. O primeiro, apesar da evolução nos últimos jogos, não consigo acreditar nele como um titular absoluto para o Brasileiro. A comissão, apesar da defesa pública, também não. Corinthians deve ir atrás de um lateral titular no meio do ano. Sobre a permanência no elenco, eu não pagaria 1,5 milhões de euros por ele. Por fim, o Pedrinho. Admito que pego muito no pé dele, mas, faço isso porque sei da qualidade que tem. Concordo com a maioria que ele joga melhor pelo meio, porém, não gosto dessa “exigência” de jogar por ali. Pedrinho precisa chamar jogo, buscar a bola, mostrar vontade de estar no clube. Essa é a minha maior crítica. O que dizia o Seedorf do Ganso? Que era lento para Europa. Fato que se confirmou. Vejo o Pedrinho na mesma toada. Qualidade tem, mas, precisa se adaptar ao futebol de hoje, tanto fisicamente como na questão tática. Falar que ele precisa jogar solto e sem exigência de marcação, ainda mais no futebol de hoje, é impraticável.  Pedrinho precisa definir o que ele quer para a carreira dele. Se será um “Foquinha” ou um William. O Vital eu vejo na mesma situação. Não dá para viver de dois jogos contra o Palmeiras. Precisa se confirmar como um jogador de talento. Por enquanto, nada provou. O Boselli, apesar de ter marcado apenas uma vez, se mostra um jogador muito inteligente e que vai ajudar demais. Os outros jogadores ainda precisam entender o seu estilo. Vai deslanchar e dará muitas alegrias à torcida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *